Venda de imóveis alcança melhor marca desde 2010
Apesar das especulações, a saúde do mercado imobiliário no Grande ABC segue ‘de vento em popa’. Sinal disso é que, de janeiro a setembro, o volume de apartamentos novos vendidos foi 9,8% superior ao mesmo período de 2012. Foram comercializadas 5.856 unidades contra 5.335.

Apesar das especulações, a saúde do mercado imobiliário no Grande ABC segue ‘de vento em popa’. Sinal disso é que, de janeiro a setembro, o volume de apartamentos novos vendidos foi 9,8% superior ao mesmo período de 2012. Foram comercializadas 5.856 unidades contra 5.335.

As informações fazem parte do levantamento da Acigabc (Associação dos Construtores, Imobiliárias e Administradoras do Grande ABC) sobre as vendas e os lançamentos realizados no terceiro trimestre. A pesquisa engloba cinco municípios: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema e Mauá.

 O ritmo aquecido também foi sentido nos lançamentos da região. Nos primeiros nove meses do ano, a quantidade de apartamentos lançados alcançou 4.236, 12,1% a mais do que o mesmo período em 2012.

 Quando analisados somente os meses de julho, agosto e setembro, no entanto, houve pequeno recuo de 1,24%; neste ano foram vendidas 1.923 unidades, contra 1.899 no mesmo período em 2012.

 Na contramão, o volume de lançamentos, na mesma base de comparação, foi 71,5% maior. No terceiro trimestre foram anunciados no mercado 1.249 apartamentos, sendo que no ano passado foram 2.142. “Isso mostra que, para o próximo ano, o ritmo seguirá muito bom. Há investimentos no setor, há compradores e facilidades para que isso aconteça. Os financiamentos deixaram de ser tão burocráticos e hoje praticamente todos os bancos (públicos e privados) oferecem taxas bastante competitivas para a compra de imóveis novos”, assinala Rosana Carnevalli, diretora da regional do SindusCon-SP (Sindicato da Construção Civil do Estado de São Paulo) do Grande ABC.

 

Preferência

 Do total de 2.142 unidades lançadas no terceiro trimestre na região, 1.143 foram de dois dormitórios, representando 53,4% do total; 846 eram de três quartos (39,5%) e 153, de um dormitório (7,1%). Não houve lançamentos de quatro dormitórios. “A região representa a nova classe média, aquela fatia emergente, assalariada. O preço dos imóveis de dois ou três dormitórios é o que cabe no bolso desse público”, analisa Rosana.

 Segundo ela, esses apartamentos são vendidos na faixa de R$ 250 mil a R$ 300 mil. O espaço varia de 50 m² a 60 m² (os de um dormitório) e de 60 m² até 80 m² (os que possuem dois quartos). Os valores são baseados no custo do metro quadrado dos bens novos no Grande ABC, que ficam em torno de R$ 4.000 a R$ 6.000.

 

Destaque

Ainda de acordo com os dados das Acigabc, o estoque de imóveis atual é de 2.963 unidades, montante 11,2% menor do que havia no fim de setembro de 2012, com 3.336 residências.

 

Hoje, o Grande ABC responde a 33,1% do total de lançamentos na Região Metropolitana, tendo como base os nove primeiros meses do ano. Em relação às unidades vendidas, o índice é ainda maior, de 37%.

 

Da Redação, original Diário do Grande ABC.

 

Fonte: 

http://www.obra24horas.com.br/noticias/venda-de-imoveis-alcanca-melhor-marca-desde-2010

Institucional

Clique e assista.

Destaque na Mídia

Destaque na Mídia

Ver imagem grande

© 2009-2012. Todos os direitos reservados