Crédito imobiliário cresce, mas não preocupa, afirma governo
Segundo o BC, o valor total das dívidas com a compra de imóveis correspondia a 5% da renda anual dos trabalhadores em dezembro de 2008. Em dezembro de 2013, chegou a 15,8%.

Segundo o BC, o valor total das dívidas com a compra de imóveis correspondia a 5% da renda anual dos trabalhadores em dezembro de 2008. Em dezembro de 2013, chegou a 15,8%.
O gasto mensal dos trabalhadores com esses financiamentos, entretanto, é bem menor, por se tratar de um crédito de longo prazo, parcelado em até 30 anos.
As prestações consomem 1,8% do salário mensal.
Inadimplência
Outro argumento para sustentar que não há motivo para preocupação é que a inadimplência está em 1,6% do total financiado, bem inferior à média do crédito total para pessoas físicas (4,4%).
O BC afirma ainda que a prestação substitui, na maior parte das vezes, a despesa com aluguel, gasto que não aparece nas estatísticas de endividamento, mas que compromete a renda.
Há ainda a vantagem de ser um crédito que se reverte em patrimônio e pode ser considerado como investimento em vez de consumo.
Da Redação, original Folha de S. Paulo.

AUTOR/FONTE: http://www.obra24horas.com.br/noticias/credito-imobiliario-cresce--mas-nao-preocupa--afirma-governo

Institucional

Clique e assista.

Destaque na Mídia

Destaque na Mídia

Ver imagem grande

© 2009-2012. Todos os direitos reservados