Busca de imóvel pela web atinge 90% dos interessados
Dizer que o imóvel dos sonhos está a apenas um clique do pretendente à compra ou ao aluguel já é uma realidade. Portais especializados em anúncios do setor investem em tecnologia para cativar o futuro comprador ou locatário com informações e imagens que revelam detalhes de casas, apartamentos e terrenos e mostram os diferenciais de novos empreendimentos.

Dizer que o imóvel dos sonhos está a apenas um clique do pretendente à compra ou ao aluguel já é uma realidade. Portais especializados em anúncios do setor investem em tecnologia para cativar o futuro comprador ou locatário com informações e imagens que revelam detalhes de casas, apartamentos e terrenos e mostram os diferenciais de novos empreendimentos. Tudo pensado para impulsionar o fechamento do negócio.

 "A comunicação on-line permite um número ilimitado de ofertas, com muito mais informação, além de conteúdo editorial e serviços como o índice de preços Fipe-Zap, referência no mercado", avalia Eduardo Gama Schaeffer, diretor-geral do Zap Imóveis.

 Nascido como Planeta Imóvel, em 2001, ligado aos jornais "O Estado de S. Paulo" e "O Globo", o portal tornou-se Zap em 2007 e, desde o ano passado, pertence 100% às Organizações Globo. "Todos os anúncios são pagos e o próprio anunciante insere dados e imagens, seguindo regras preestabelecidas", explica Schaeffer. Os 50 profissionais do pós-controle monitoram as ofertas e checam informações não compatíveis e denúncias de incorreções.

 "O Zap passou de 60 mil ofertas, em 2007, para 350 mil, em 2013, o que indica um crescimento superior a 40% ao ano", destaca o diretor do portal. Outros números do Zap: 200 funcionários, cinco escritórios no país, 3,5 milhões de usuários, 61 milhões de visitas/mês, 510 milhões de pageviews/ano, e cerca de 30 milhões de buscas/mês. "As estimativas são de que 1 milhão de contatos são gerados mensalmente e desses, de 2% a 3% se convertem em negócios", diz Schaeffer.

 É possível acessar o Zap também em smartphones e tablets, por meio de aplicativo gratuito disponível para download no site há um ano. As informações são atualizadas mensalmente e o aplicativo, usado por 150 mil pessoas, permite acesso às redes sociais para compartilhamento de fotos e dados.

 Paulo Sâmia, COO do Imovelweb, que acaba de lançar a versão mobile do portal para iPhone, iPad e Android, justifica o investimento de R$ 500 mil na nova mídia. "O mundo está evoluindo, os meios de comunicação evoluem a cada dia e os hábitos do consumidor acompanham essa tendência", diz. A expectativa é que, em um ano, com o novo aplicativo, o número de visitas provenientes de dispositivos móveis passe de 12% para 35% da audiência total do portal, um crescimento de 192%.

 Fundado em 1998, o Imovelweb, adquirido no ano passado pelo grupo latino-americano Navent, tem mais de 150 funcionários, sede na capital paulista e unidades em mais nove cidades brasileiras. No portal, há 500 mil ofertas pagas, de 6 mil clientes, referentes a imóveis de mil cidades do país. "Entre 1% e 5% dos contatos gerados no site são convertidos em negócios e temos 2,5 milhões de visitantes únicos/mês", informa Sâmia.

 "A internet vem revolucionando o mercado imobiliário", ressalta Roseli Hernandes, diretora da área de vendas de imóveis de terceiros (prontos) do Secovi-SP. "Para o cliente, seja comprador ou locatário, os portais e a divulgação de imóveis no Facebook, Linkedin e em outras redes sociais trouxeram um ganho fantástico. Esse novo público é mais qualificado, tem informações pontuais sobre os imóveis, o que faz aumentar as chances de concretização dos negócios", afirma. "Prova disso é que 90% das pessoas que procuram um imóvel, para locação ou compra, começam a consulta pela internet."

 Também diretora da Lello Imóveis, Roseli lembra que é imprescindível que as empresas do setor invistam em portais próprios, com modernas ferramentas, e mantenham as informações atualizadas - premissas válidas para os portais de anúncios. Desenvolver a inteligência do negócio, especializar-se na comunicação com o cliente e investir na capacitação e atualização de seus profissionais são outros pontos relevantes para o sucesso do negócio.

O presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo (Creci-SP), José Augusto Viana Neto, é taxativo: "Quem não lançar mão da tecnologia e não acompanhar sua evolução não terá mais trabalho. Antes, o cliente chegava para saber o que tinha para comprar ou alugar. Aí, o corretor pegava o fichário, eram escolhidos 5, 10, 15, 20 imóveis, e eles saíam para visitas que tomavam um tempão", diz o líder da entidade com 137 mil profissionais inscritos e 96 mil ativos. "Hoje, quando o cliente marca com o corretor, ele já viu fotos internas e já viu a fachada e a localização do imóvel pelo Google Street", afirma Viana Neto. "O primeiro contato com o cliente é feito em tempo real por Skype ou chat, evitando o deslocamento desnecessário."

 Inaugurada em 1968, em Perdizes, zona oeste de São Paulo, a Predial Tufik Misiara iniciou timidamente sua incursão ao mundo digital, com um site ainda pouco operante. "Não sofremos tanto o impacto dessa nova era digital nos negócios imobiliários em razão da credibilidade e da tradição da empresa na região", diz Sandra Mendes, gerente de locação. Jornalista de formação, ela tem a missão de reestruturar a imobiliária e implantar a nova comunicação, mas admite que isso levará tempo. "Há muita demanda e somos apenas cinco corretores. O cliente hoje busca informação em tempo real e tentamos agilizar o atendimento com o envio rápido de dados e fotos por e-mail", diz Sandra.

 

 

Da Redação, original Valor Econômico

 

Fonte: 

http://www.obra24horas.com.br/materias/produtos-e-servicos/busca-de-imovel-pela-web-atinge-90--dos-interessados

Institucional

Clique e assista.

Destaque na Mídia

Destaque na Mídia

Ver imagem grande

© 2009-2012. Todos os direitos reservados